quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Alarme




E ela não usava batom
Mas o vermelho lhe caía bem
Nunca gostou de falar
Mas tinha uma bela voz.

Preto era sua cor
Mas sua alma era purpurina
Mesmo sendo solitária
Almejava pessoas.

Ninguém nunca lhe contou que era bonita
Talvez por isso ela não ligava
E por isso mesmo era linda
Pelo simples fato de ser ela mesma.

Não gostava de contato humano
Até o dia que lhe seguraram a mão
Odiava seu apelido
Até o dia que foi entoado pela voz certa.

Lhe disseram que algo lhe faltava
Ela não era par no mundo
Lhe falta uma coisa
E ela passou a ansiar em descobrir.

Mal sabia ela que a resposta viria em alternativas
Confusas e de fácil erro
E nesses erros não lhe contaram os efeitos colaterais
Mas ela foi indo, e indo foi desvendando uma a uma.

E em uma noite o vermelho tomou conta de seus lábios
E de preto só tinha o seu salto
E tudo o que queria era finalmente gritar aos ventos
Que finalmente só o que faltava nela era ele.


Nenhum comentário:

Mil cartas

Tantas portas eu abri Tentando te encontrar E tantas outras bati Para fingir que te esqueci. Tantas orações eu entoei Não ...