domingo, 23 de agosto de 2015

Poesias Lentas.

                     

Querido Chico Bento...
Perguntas pairam na minha mente á respeito de ti, sobre nós. Dos dias mais nublados e das estrelas mais apagadas sempre sem respostas.
Seria porque o que procuro só encontro nos teus olhos, na tua presença, no teu toque.
Tenho medo do seu poder, fugir é minha maior serenidade, privar meu coração de minha loucura.
Esqueço que dentro de mim há muito de ti, dali não tenho como correr, onde eu estou, tu está.
Se não sabe o caminho descobre  o trajeto e vens . E pega minha mão.
Em noites de insônia nossos sorrisos pairam na escuridão mútua, esperando o sono chegar. E torcendo para que ele se perca para sempre.
De fotos são nossos momentos, em incontáveis lugares. Sempre cheio de poesia.
Por certo um drama mexicano com um toque de nafitalina.
Tudo que vem de ti me destrói aos poucos, será que não perceber isso? Mesmo eu já tendo lhe contado?
Ou será que sou uma ótima atriz, deve ser isso. Confias demais em minhas falhas palavras que se desmancham em poucos segundos.
Estamos em galáxias diferentes, so far far way... Mas por vezes elas se juntam, quão doces são esses momentos!
Querido Chico Bento tenha noção de que te amo e por isso não vamos ficar juntos, porque nem tudo que amamos podemos ter da forma que queremos, no nosso caso só em forma de poesias tristes e lentas.

(Vanessa Alves)

Mil cartas

Tantas portas eu abri Tentando te encontrar E tantas outras bati Para fingir que te esqueci. Tantas orações eu entoei Não ...