terça-feira, 9 de julho de 2013

Olívia.





Olívia era uma garota estranha. Não usava maquiagem, não tinha medo de sorrir.
Havia algo de muito errado com aquela menina... Ela não mentia e toda segunda-feira  amarrava uma fita vermelha na mochila.
Sua estranheza chamava atenção, dava enjoo nas meninas e borboletas nos meninos.
Nunca saía de casa sem um livro e comer uma colher com Nutella.
Orava por todo o mundo e suas galáxias. Não tinha medo de escuro, só de caras de terno.
Nunca havia beijado ninguém, seus dois antigos amores não podiam ser inclusos nessa lista.


Faz assim...

                                Faz assim, me faz sentir que o ar é doce Que as noites foram feitas para dançar Que o escuro é ca...